Blog

Sobre a Educação

Sobre a Educação

Por Iara Cristina Leopardi Pinheiro

Não há nada mais próximo da espiritualidade do que a tarefa de educar. Por meio da educação a verdade torna-se evidentemente conhecida e com ela vem a libertação dos laços atrozes de ignorância.

Nosso mundo caminha para rumos cada vez mais ecléticos dos sistemas educacionais, porém, onde está o ponto de equilíbrio entre o ecletismo e o radicalismo?

Enquanto elaboramos teorias com a mente dissociada da espiritualidade,passamos da rigidez dos dogmas à anarquia do vale-tudo, sem colher os frutos da liberdade, sofrendo as consequências da indisciplina .

A verdadeira liberdade ancora-se no Ecumenismo, porque é a humanidade uma só raça, as nações, um só povo, composto por seres humanos muitíssimo diferentes entre si, mas iguais na filiação divina – sobre o nascimento e a passagem chamada morte (inadequadamente) – não há outro conceito senão o da igualdade.

A ciência evolui em largos passos para uma tecnologia cada vez mais avançada e exige uma especialização cada vez mais minuciosa e profunda em todas as áreas do conhecimento humano (o especialista em dedo minguinho não age sobre a mão), o que é perfeitamente compatível com o crescimento da capacidade mental humana.

Mas,em termos de consciência, a razão é inversa, porque cada ampliação de consciência torna o ser mais abrangente; quanto mais se evolui, mais se compreende o universo das relações humanas.

Havemos que estar atentos também a que nos especializemos em fraternidade, pois conhecimento sem amor é fogo destrutivo: não aquece, não ilumina.

Conteúdos que levem a mente a desafiar-se e desenvolver-se dos véus da tacanhice, são muito bem vindos, e seguidos do discernimento e da prática aplicação no serviço desinteressado à resolução do sofrimento humano na Terra.

O quanto nos tem custado aumentar os conteúdos e esvaziar a alma?

O quanto nos tem custado a competitividade desleal? E ainda há escolas especializadas em competição...

Conhecimento adquire-se nas escolas, em contato com livros, pessoas, experiências; mas a sabedoria que emana do contato consigo mesmo e com os níveis mais elevados de consciência, não se compra; conquista-se com obras, com
Dedicação, com Amor verdadeiro, com Humildade.

Educar as crianças e os jovens para a sabedoria, de forma ecumênica é fazê-los adquirir a têmpera do aço, nas virtudes essenciais ao ser humano, seja ele praticante de qualquer religião, ou ateu; gnóstico ou agnóstico, rico ou pobre, super-dotado ou limítrofe, pois querendo ou não esta centelha divina está em todos.

A base fincada em sólidos princípios de bioética, cabe em todos os projetos educacionais sérios, que visem transformar o cidadão em um ser que interage com seu meio, tranforma-o e melhora-o, enquanto cultiva sua própria felicidade e prosperidade.

Este homem de ação perante o mundo,solidamente fundamentado em virtudes inabaláveis e incorruptíveis é, aquele para quem SIM é SIM; NÃO é NÃO,é o cidadão ético por excelência.

Temos dez princípios básicos e essenciais ao cidadão deste milênioque devem ser amplamente trabalhados na educação das crianças e jovens, com exemplos, principalmente.

São eles: FIDELIDADE, PACIÊNCIA, PRUDÊNCIA, COMPAIXÃO, TEMPERANÇA, RESPONSABILIDADE
RESPEITO E HUMILDADE.

Que os educadores realmente conscientes de sua missão possam discorrer também sobre isto, mas principalmente, viverem estes princípios em sua lida diária, ensinando com o exemplo.

É preciso fazer uma reelaboração destes princípios no coração do educador, sem eles a técnica, a metodologia, a pedagogia são vãs, pois transformam-se em meios de informação, não de formação.

Sem o Amor essencial,verdadeiro e crístico, caminha na senda do enunciado pelo Mestre Jesus: ¨Ama a Deus de todo o teu coração, com tua a tua mente, com  toda a tua vontade e ao teu próximo como a ti mesmo¨; todo o que fizermos serão palhas ao vento...

Somos seres espirituais, viemos para este mundo aprender a nos conecctarmos uns com os outros e com outros níveis de consciência(dos minerais, dos animais aos anjos) e para compartilharmos o dom sagrado da vida.

No coração, onde mora a  amorosidade unificadora, estão gravados todos estes princípios; cabe ao mestre a maiêutica e a capacidade de resgatar de cada um na sua própria forma.

Um dos pilares desta nova e real forma de educar é que os educadores eduquem-se em e atitudes.

Onde há princípios não há culpa, não há medo, não há agressividade, nem violência, nem corrupção.

Com princípios fazem-se os heróis, os pioneiros, os santos; com princípios faremos uma humanidade digna. Educadores somos todos nós,uns para com os outros,mas principalmente,pais e professores. Como mestres sempre ensinamo-nos reciprocamente, seja o Bem, seja o Mal, a Omissão, a Libertinagem, a Preguiça...mas também o Amor, a Cooperação,a Gentileza, a Bondade, a Disciplina.

O exemplo de quem ensina é o melhor livro e o melhor conteúdo,sempre o exemplo...sempre o exemplo...

Ensinar o Amor e viver o ódio, a discriminação,o preconceito e o sectarismo, não tem funcionado e não vai construir um planeta de justiça e paz.

Então, haverá um tempo em que lobos e cordeiros pastarão junto...(profecia de Isaías). O tempo está chegando...de que lado você fica?

Eu escolho o Ecumenismo irrestrito do AMOR.

Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade